jusbrasil.com.br
20 de Outubro de 2019

Passageiros do Uber são agredidos por taxistas em SP

Cerca de 10 taxistas participaram da agressão, na zona norte da capital paulista; nenhum suspeito foi identificado até agora.

Rafael Costa, Advogado
Publicado por Rafael Costa
há 4 anos

"O boletim de ocorrência foi registrado como injúria, ameaça, constrangimento ilegal, lesão corporal e exercício arbitrário das próprias razões."

E assim é que querem que confiemos no serviço de táxi. Segue a notícia:

Passageiros do Uber so agredidos por taxistas em SP

São Paulo - Dois passageiros que utilizavam o serviço do aplicativo Uber foram agredidos por um grupo de taxistas na manhã deste domingo, em Santana, na zona norte de São Paulo. De acordo com o motorista do Uber, os passageiros desceram do carro para tentar acalmar os ânimos alegando que se tratava de um motorista particular. O grupo então teria iniciado a agressão, com socos, chutes e até mesmo golpes com chave de roda. Logo após o ataque, as vítimas, que não tiveram as identidades divulgadas, fizeram um vídeo.

O motorista contou à Polícia Civil que ao menos 10 taxistas cercaram seu carro, um Honda City preto, ao vê-lo pegando os passageiros. Os taxistas então teriam começado a xingar e a dar tapas no carro, inclusive quebrando o retrovisor do veículo.

A agressão ocorreu em frente ao prédio da Universidade de Santana, na rua Voluntários da Pátria, por volta das 10h da manhã.

Uma das vítimas foi ferida na cabeça e levada pelo próprio motorista do Uber à unidade do hospital Albert Einstein na região de Alphaville, em Barueri, na Grande SP.

O motorista, de 28 anos de idade, registrou boletim de ocorrência no 13º Distrito Policial, na Casa Verde. Ele contou que não conseguiu anotar as placas dos táxis que o cercaram, mas disse que conseguiria fazer o reconhecimento dos agressores. As vítimas das agressões não prestaram depoimento.

A Secretaria da Segurança Pública informou que a polícia já está analisando imagens de câmeras de segurança do local para identificar os agressores. O boletim de ocorrência foi registrado como injúria, ameaça, constrangimento ilegal, lesão corporal e exercício arbitrário das próprias razões.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Uber informou que a empresa "repudia qualquer tipo de violência" e classificou o caso como "inaceitável". O Uber anunciou ainda que irá oferecer apoio aos passageiros agredidos e vai colaborar com as investigações.

O caso ocorreu três dias após um motorista que também atende pelo aplicativo Uber ser espancado ao cair em uma "armadilha", em Porto Alegre. Ele teve seus serviços solicitados por meio do aplicativo na última quinta-feira e, ao chegar ao local indicado, foi agredido por um grupo de taxistas que o aguardava no estacionamento de um supermercado. Ao menos dois suspeitos foram detidos.

Fonte: IG

50 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

É que vivemos num país que é leniente demais com a bandidagem. Quem agride alguém com uma chave de roda não comete o crime de lesão corporal; na realidade, pratica o crime de tentativa de homicídio. continuar lendo

Este deveria ter sido o primeiro item. continuar lendo

Por isso defendo o porte de armas.
Queria ver um vagabundo desses agredir alguém se tivesse armado.
Se o estado é incompetente para asseegurar a defesa do cidadão, então há de ser irrestrito seu direito de auto-defesa! continuar lendo

O problema do porte de armas é bem esse, imagina se todos os taxistas estivessem armados? Teriam fuzilado as vítimas sem dó... continuar lendo

É, o Égon foi mais racional nessa discussão. continuar lendo

Egon, taxistas que fazem isso geralmente possuem passagem pela polícia, o que por si só, já seria um impeditivo de ter o porte de armas, legalmente falando.
Os bons taxistas, o que fizeram? Melhoraram seus serviços, começaram a oferecer água, chocolates e outras coisas, enquanto os bandidos, fazem barreiras em busca de Ubers e possíveis vítimas para agredir.

Eu só estou esperando esses bandidos tentarem agredir um motorista Uber que esteja carregando um passageiro que seja policial, eu vou adorar ver o final da história... continuar lendo

Não adianta ficar discutindo sobre armas, pois o melhor modo de responder essa agressão é incentivar ainda mais o uber.
Os passageiros não devem entrar na discussão, mas somente filmar, fotografar e chamar a polícia. continuar lendo

Pois é Alex, concordo com você.

Se os taxistas tivessem armas e houvesse troca de tiros conforme sugerido pelo Égon? Bem, quem está errado que assuma a sua parte. O que não dá é para usar isto como argumento e impedir a defesa do agredido. É afirmar que a vítima não tem o direito a se defender para evitar um tiroteio. continuar lendo

Porte de armas e livre acesso à elas somente criaria mais chacinas injustificadas, como vemos semanalmente ocorrer nos EUA.
Armar não resolve, conscientizar, instruir e educar sim! Não estamos mais na idade das pedras onde quem tem o porrete maior manda no bando... continuar lendo

Realmente como podemos confiar no serviço de taxi. Não há noticia que motorista do Uber agrediu qualquer taxista. Será é porque são mais educados? continuar lendo

É só procurar que você acha, é que não gera muito IBOPE:

http://noticias.band.uol.com.br/jornaldorio/quadro.asp?idS=&id=15674820&t=taxistaeagredido-por-motorista-do-uber

http://www.folhadomotorista.com.br/index.php/são-paulo/2294-taxista-que-organizou-manifestacao-contraoaplicativo-ubereagredido continuar lendo

O Marcio da Silva matou a pauladas ...... continuar lendo

Não tome o todo pela parte. Houve agressão de alguns taxistas, mas 10 ou 100 não chegam nem perto da grande maioria. Além disso existe bandidagem em todos os setores em nem por isso rotulamos uma classe toda. E como disse um colega, motoristas do uber também agridem e nem por isso estamos taxando os mesmos. Além do mais, e sem entrar muito nesta discussão, o problema é que o governo não resolve esta situação, "fica em cima do muro", deixando para o judiciário apagar o fogo. continuar lendo

É de se estranhar que não haja o registro da associação criminosa, pois, afinal, os taxistas se juntaram para cometer crimes. Fora que agredir alguém com uma chave de roda é tentativa de homicídio, a depender de onde foi dado o golpe...

E mais estranho ainda é que, nesta onda de violência contra motoristas e usuários do Uber, não se tem notícia de prisão dos agressores...

Abraços a todos! continuar lendo