Comentários

(340)
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
Verdade, Ronaldo - @ronaldomavila1. Existem dois valores de assinaturas, mas está realmente difícil de entender isso via a nossa comunicação. Já vamos começar a trabalhar nisso. Muito obrigado pelo feedback. Um abraço
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
Existem dois valores de assinaturas, Rosangela @rosangelassrosa -, mas está realmente difícil de entender isso via a nossa comunicação. Já vamos começar a trabalhar nisso. Muito obrigado pelo feedback. Um abraço
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
Cleverson - @cleversonluizjesus -, devo ter me expressado mal.

Os usuários mais ativos, como você, são a nossa maior validação de que temos um produto que funciona e possui utilidade.

O único ponto que coloquei é o de que esses mais ativos precisam pagar proporcionalmente mais; para isso o sistema de créditos.

De forma alguma eu tinha a intenção de implicar que esses usuários utilizam de forma errônea ou deslegal.

O que desejamos é realmente que explore todo o potencial da ferramenta (isso é, inclusive, o que gera mais valor para os usuários da outra ponta, aqueles em busca de um advogado). No seu lugar, eu faria exatamente o mesmo.

Vamos bater um papo sim e te explico com bem mais detalhes.

Falamos por direct.

Um abraço, meu amigo.
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
Olá Cristiano - @cristianoeb -, existem duas versões do Jusbrasil Pro, uma de 14 reais, que já dá acesso a tudo dos diários e outra de 49 reais, voltada aos advogados. Se perfil não está configurado como perfil de advogado, o valor do PRO será então de 14.

Mas, pelos feedbacks aqui, dá para ver como não está nada clara essa comunicação das assinaturas. Vamos trabalhar nisso imediatamente.

Um abraço e muito obrigado pelo feedback e por assinar!
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
Qualquer pessoa pode ser assinante do Jusbrasil Plus, Ana - @anahelenar -, e apenas advogados podem ser assinantes do Jusbrasil Pro.

A solicitação para assinar o Jusbrasil Plus só aparece quando tenta-se utilizar uma funcionalidade que faz parte desse plano. Partimos do pressuposto de que as pessoas só assinariam se utilizassem ditas funcionalidades. Um erro, em breve estará no ar uma página que apresente o Jusbrasil Plus.

Um abraço
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
Opa, Mauro - @eusouomauro -, obrigado pelo apoio.

Não, não é possível ganharmos em percentual sobre o ganho dos advogados, pois isso configura "agenciamento de causas", que é uma infração ética do Estatuto da Advocacia.

Não entendo ao certo o motivo que entenderem ser isso prejudicial à justiça, mas, está lá e nós somos bem atentos a essas normativas da OAB.

Um abraço!
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
Sim, Roberto - @ramorimadvocaciatrabalhista -, eu me considero um amador, sem dúvidas, mas discordo dessa ética brasileira segundo a qual um profissional criticar outro é errado.

Você está certo. Aqui, ser profissional, inclui essa ética. Para mim, ela só traduz corporativismo extremamente prejudicial à sociedade.

Quem melhor do que um médico para criticar outro médico? Quem melhor do que um engenheiro para criticar outro engenheiro? Mas, no Brasil, não, isso é errado, criticar outro profissional é errado. O médico tem que ficar calado, vendo seu "colega" profissional cometer atrocidades.

Qual o sentido disso?

Só consigo ver uma motivação por trás dessa "ética": a de garantir a sua própria pele e também não se tornar sujeito a críticas. "Se eu critico, posso também ser criticado", melhor ficar quietinho.

Se contar a pura verdade sobre o que um profissional faz é denegri-lo, o problema está mesmo em relatar fatos reais?

Nesse sentido, nem quero me tornar profissional. Meu amadorismo é o que ainda me permite ser franco.
Rafael Costa, Administrador
Rafael Costa
Comentário · há 2 meses
@allanxp4 @andress6 - levantaram essa questão num post de Facebook, respondi isso aqui; não tá muito detalhado, mas dá para ter uma ideia:

Temos horas de pico com 300 requisições de páginas / buscas por segundo. E são requisições de documentos diferentes (long tail) entre mais de 1 bilhão de documentos (ou seja, cache não ajuda muito aqui) ou buscas num índice de mais de 1 bilhão de documentos (nesse caso, o sistema tem que varrer todas aquelas keywords, atendendo aos parâmetros de busca, num índice desse tamanho e retornar uma resposta em 50ms, isso 100x por segundo). Nosso stack tem hbase/hadoop e Elastic Search bem tunadinhos, mas, quando você serve esse volume de requisições long tail, o buraco é mais embaixo.

Daí, ao custo já alto de servidor, você adiciona 46% de imposto que a receita instituiu, através de um ato interpretativo, sobre aluguel de data centers no exterior (a receita considera o aluguel de máquinas um serviço). Esse imposto quase ninguém paga, até por desconhecimento, mas nós fazemos tudo "by the book" no Jus e tomamos esse ferro.

Mas sim, dá para reduzir, tanto que vamos economizar cerca de 35 mil com essa migração para o cloud Google. Protelamos até o ponto que ficou caro demais, pois é bem custosa essa migração.

A turma que mexe com isso no Jus - @andrewsmedina @gustavomaia - podem te dar uma ideia melhor e detalhar aqui qual nossa estrutura.
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Rafael Costa

Avenida Tancredo Neves - Salvador (BA) - 41820-020

(071) 99923-70...Ver telefone

Entrar em contato